Explore o mundo
Grécia – Paulo fala sobre Danças Gregas Modernas

Grécia – Paulo fala sobre Danças Gregas Modernas

O Mundo Cabe em SP

Paulo Sertek do grupo Zorbás de danças gregas conta um pouco sobre a origem de algumas danças gregas modernas. Acesse o site www.zorbas.com.br para conhecer mais sobre o grupo e quem sabe agendar aulas com eles. Agradecimentos especiais ao espaço Areté – Centro de Estudos Helênicos que cedeu o espaço para gravação do vídeo. Inscreva-se no canal do Youtube:...

Ler mais
Grécia – Aula de Zeibekiko

Grécia – Aula de Zeibekiko

O Mundo Cabe em SP

O grupo Zorbás de danças gregas explica alguns passos básicos de Zeibekiko. Acesse o site www.zorbas.com.br para conhecer mais sobre o grupo e quem sabe agendar aulas com eles. Agradecimentos especiais ao espaço Areté – Centro de Estudos Helênicos que cedeu o espaço para gravação do video. Inscreva-se no canal do Youtube:...

Ler mais
Dança Indiana – Entrevista com Irani Cippiciani

Dança Indiana – Entrevista com Irani Cippiciani

O Mundo Cabe em SP

Irani Cippiciani é atriz formada na Escola de Comunicação e Artes da Universidade de São Paulo e dançarina de música indiana. Durante apresentação de dança indiana no Sesc CARMO presenciamos uma conexão intensa e sincera entre artista e público. Depois da apresentação conversamos sobre essa forte impressão que a dança indiana provoca, as relações entre Índia e Brasil e ainda aprendemos um pouco mais sobre as tradições da Índia. Leia a entrevista logo abaixou, ou se preferir, assista: Como foi que a dança indiana chegou até você? Na verdade eu sou atriz do formação, trabalho com teatro há 20 anos e conheci a dança indiana através de uma bailarina que veio ao Brasil muitos anos atrás que dançou um estilo de dança indiana chamado de odissi. E eu fiquei encantada porque era uma atriz no começo de carreira e ainda vivia aquele dilema de como movimentar sem falar ou não falar e movimentar, aquele dilema de ator iniciante, ainda sem experiência e quando eu vi a expressividade daquela mulher em cena, notei a capacidade dela de se comunicar sem usar palavra. Eu pensei que isso seria muito bacana pra enriquecer meu trabalho como atriz, mas não tinha a pretensão de ser bailarina de dança indiana, então foi assim que eu cheguei à dança indiana. Obviamente que quando comecei à estudar eu me apaixonei e nunca mais consegui largar. Eu continuo sendo atriz, mas acabei virando bailarina de dança indiana. Você percebe a presença da Índia nas coisas práticas do cotidiano? Aqui no Brasil eu não sei se pelo ponto de vista cultural, mas acho que do ponto das especiarias sim, até pela tradição portuguesa que foi à Índia atrás das especiarias e de certa maneira a gente também absorveu um pouco desse hábito. Mas eu diria que a maior semelhança que encontro é a índole do povo, o povo brasileiro e o povo indiano tem uma índole semelhante, são pessoas que recebem bem os outros, que são cordiais, que são gentis, que são alegres, é uma cultura festiva como a nossa, então pra um brasileiro a gente se sente meio em casa nesse aspecto das relações humanas. A cultura é muito diferente, tudo é muito diferente, mas tem esse fator humano que...

Ler mais